Considera-se bullying qualquer agressão física ou psicológica propositada, exercida por um indivíduo ou grupo de indivíduos, de forma continuada no tempo. Tem como objetivos assustar, magoar, humilhar e intimidar a vítima. A vítima de bullying frequentemente não consegue defender-se porque quem agride é mais forte ou está em maior número; a vítima tem alguma característica que a torna mais vulnerável.

O bullying é bastante comum em ambientes escolares, principalmente entre os 7 e 23 anos. Pode causar alterações psicossociais, como, depressão e ansiedade, associadas a um aumento significativo dos sentimentos de tristeza e solidão, alterações do sono e apetite, redução do desempenho escolar ou profissional, perda de interesse nas atividades normais da idade. Pode resultar também em ferimentos físicos. Por isso, devemos incentivar a partilha de problemas e estarmos atentos, principalmente ao surgimento de:

  • Hematomas ou outros sinais de agressão física;
  • Roupas rasgadas ou sujas (de terra, sangue…);
  • Isolamento social, tristeza, choros;
  • Mudança repentinas nos hábitos alimentares;
  • Mudança na conduta (agressividade, irritação, ansiedade);
  • Queda do rendimento acadêmico.

Leia também: a história da jovem com síndrome de Down que superou o bullying e virou chefe de cozinha.